Responsabilidade Social

A culpabilização social das mulheres ao longo da história

Defesa e Promoção dos Direitos Humanos e da Igualdade Étnico Racial

Unidade: Cascavel

Titulação: Mestrado - Atividade: Pesquisa Institucional

Cod. CNPQ: 0007050000 – História

Núcleo de Pesquisa: Ciências Humanas e Sociais Aplicadas

Linha de Pesquisa: Gênero e diversidade sexual

Professor: Luiz Augusto Mugnai Vieira Junior

Resumo: Culpabilização significa ato de culpar e de tornar alguém culpado. E ela tem gênero. Segundo a pesquisa Datafolha (2016) quase 35% da população brasileira  considera a mulher culpada por ser estuprada. Esse dado além de preocupante por se tratar de uma violência, torna não o algoz, mas a vítima culpada.

Devido a nossa cultura misógina as mulheres tendem a serem responsabilizadas por fatos que não apenas não causaram, mas procuraram veementemente evitar. É o caso da violência sexual física e moral contra as mulheres. Para fazer uma tentativa de mensurar a quantas anda a culpabilização da mulher na sociedade serão aplicados o mesmo questionário aos dois grupos, um com alunos/as do curso de engenharia civil da Universidade Paranaense - UNIPAR que tem uma marcante presença masculina (engenharia civil) e outro grupo de alunos/as de psicologia da mesma universidade com maioria feminina (psicologia). Nos dados brutos da experiência pretende-se conjecturar como os dois cursos elaboram e lidam com essa cultura com raízes históricas que tende a culpabilizar sistematicamente a mulher.

A culpabilização social das mulheres ao longo da história