Responsabilidade Social

LGBTFOBIA e re (ve) lações universitárias. (Fase I - Teórica)

Defesa e Promoção dos Direitos Humanos e da Igualdade Étnico Racial

Unidade: Umuarama

Titulação: Mestrado - Atividade: Pesquisa Institucional

Cod. CNPQ: 0007070500 – Psicologia Social

Núcleo de Pesquisa: Ciências Humanas e Sociais Aplicadas

Linha de Pesquisa: Gênero e diverisidade sexual

Professora: Danielle Jardim Barreto

Resumo: Este projeto busca problematizar as relações universitárias, com ênfase as que implicam em relações homo, lesbo e transfóbicas. O interesse pelo tema enuncia-se pelo foco de pesquisa de doutoramento já finalizado, e que colocou em tela o ainda presente exercício de violências verbais, físicas e morais contra a comunidade acadêmica que se identifica como Gay, lésbica ou transexual. Compreendemos comunidade acadêmica como o território relacional composto por todos aqueles e aquelas que trabalham e  estudam  no  ambiente  universitário,  ou  seja,  acadêmicos,  docentes,  equipe  administrativa,  diretorias  e reitoria.

Nesta fase I fazemos um levantamento e um aprofundamento teórico sobre bibliografias específicas  deste  tema,  enfatizando  os  estudos  sobre sexualidades, interseccionalidades (orientação dos desejos, gêneros e raça/cor) e relações pedagógicas em nível da educação superior. Desta forma, essa pesquisa se caracteriza como pesquisa nomeada estado da arte, sendo dispensável tramites junto ao Comitê de ética em pesquisa com seres humanos. Já a fases seguintes serão desenvolvidas em anos subsequentes. Na fase II faremos a aplicação de um questionário on line, já desenvolvido pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em sexualidades (GEPS), da UNESP/Assis SP, o qual faço parte, e em parceria nos cedeu o instrumento de aplicação junto a nossa comunidade acadêmica. Na fase III buscaremos implementar esse mesmo instrumento adaptado para o levantamento de dados junto a comunidade docente e técnica, para então numa última fase, a IV, analisarmos os índices de práticas nomeadas LGBTfóbicas, que em geral são violências sutis, porém geradoras de enormes sofrimentos psicossociais, e índices de evasão tanto acadêmica quanto de profissionais docentes e técnicos para outros ambientes menos violentos.

Esta pesquisa é relevante tanto do ponto de vista da formação de acadêmicos na área de conhecimento da Psicologia Social, quanto para a gestão de políticas educacionais singulares dentro do nosso ambiente universitário.

LGBTFOBIA e re (ve) lações universitárias. (Fase I - Teórica)