Responsabilidade Social

Avaliação do uso de probióticos no desempenho produtivo, qualidade do leite e estresse em vacas holandesas

Desenvolvimento Econômico

Unidade: Umuarama

Titulação: Doutorado - Atividade: Pesquisa Institucional

Cod. CNPQ: 0005050200 – Medicina Veterinária Preventiva

Núcleo de Pesquisa: Ciências Biológicas Agrárias e Tecnológicas

Linha de Pesquisa: Produção e reprodução animal

Professor: Ranulfo Piau Junior

Resumo: A busca por alternativas para aditivos antibióticos vem estimulando a comunidade cientifica a pesquisar o uso de aditivos alternativos, que promovam melhor desempenho, qualidade dos produtos e conforto aos animais. Com o uso extensivo de antibióticos há maior incidência de resistência bacteriana, além de impactos econômicos e ambientais, com isso a pesquisa de aditivos alternativos para a pecuária leiteira tem crescido, em consequência das limitações do uso de antibióticos em animais que produzem alimentos. Nas condições em que estão sendo submetidos os animais nos sistemas de produção modernos, vêm-se provocando neles diferentes graus resistência bacteriana devidos ao uso indiscriminado de antibióticos.

O uso de probióticos na alimentação pode melhorar o desempenho dos animais, auxiliar no controle da mastite, melhorar a qualidade do leite e diminuir o estresse nos animais. O objetivo deste trabalho será avaliar o efeito do uso de probióticos e probióticos associados com tamponantes, biotina, BHT (Hidróxido de tolueno butilado), vitamina K e vitaminas do complexo B sobre o desempenho produtivo, qualidade do leite, contagem de células somáticas (CCS) e mastites subclínicas de vacas da raça Holandesa.

Serão utilizadas 24 vacas adultas da raça Holandesa, do rebanho da Universidade Paranaense - UNIPAR, divididas em três grupos de oito animais: tratamento controle somente com suplementação concentrada, tratamento com probiótico na suplementação, tratamento com probióticos e associados na suplementação. Será mensurado os níveis de produção de leite dos animais, os níveis de proteína, gordura, lactose e sólidos totais no leite. Para avaliar a mastite subclínica será feito o CMT (California mastitis test) e CCS. Será coletado sangue através da punção da artéria coccígea para análises do hemograma, proteínas  totais, albumina, globulina, cortisol, glicose, cloretos, cálcio, ureia e fosforo. As coletas serão feitas a cada 30 dias, o experimento com um período de duração de 90 dias. Sendo as coletas no D0, D30, D60 e D90.

Avaliação do uso de probióticos no desempenho produtivo, qualidade do leite e estresse em vacas holandesas