Responsabilidade Social

Histomorfometria da parede do tubo digestório de coelhos Nova Zelândia tratados com extrato de Echinodorus Grandiflorus ( [Cham. & Schltdl. ] Mitch, Alismataceae) com dieta aterogênica

Desenvolvimento Econômico

Unidade: Umuarama

Titulação: Doutorado - Atividade: Pesquisa Institucional

Cod. CNPQ: 0002060000 – Morfologia

Núcleo de Pesquisa: Ciências Biológicas, Agrárias e Tecnológicas

Linha de Pesquisa: Morfofisiologia do aparelho digestório

Professor: Ricardo de Melo Germano 

Resumo: Há milhares de anos, o homem vem utilizando plantas medicinais para o tratamento de diversas patologias. Atualmente, as plantas medicinais são amplamente utilizadas, principalmente em programas de Fitoterapia para o tratamento de várias doenças, e também são utilizadas como fonte de matéria-prima para produção de fitoterápicos, fitofármacos e fitocosméticos. A Echinodorus grandiflorus (E. grandiflorus - chapéu  de  couro), encontrada em mananciais aquáticos e já cultivada com o intuito de serem utilizadas para fins medicinais, tem sido administrada principalmente como diurética, hipotensora, hipoglicemiante, emoliente, laxante dentre outras. A absorção dos nutrientes está na  dependência da integridade das túnicas intestinais bem como da manutenção da sua vascularização, assim, o presente trabalho se propõe a avaliar os efeitos do extrato bruto de Echinodorus grandiflorus na estratigrafia da parede intestinal de coelhos, Nova Zelândia, submetidos à dieta aterogênica.

Para realização da pesquisa folhas de E. grandiflorus serão coletadas no Horto de Plantas Medicinais da UNIPAR (Universidade Paranaense), campus Umuarama (Brasil), e o extrato aquoso será obtido por infusão, segundo preconizado pelo uso popular. Serão utilizados 36 coelhos machos Nova Zelândia, com idade de três meses, que serão aclimatados em gaiolas individuais, com água ad libitum e ração comercial para coelhos, com luz, temperatura, ventilação e exaustão, controlados. Após este períodos serão distribuídos de forma aleatória em seis grupos de seis animais que receberão ração comercial padrão ou acrescida com 1% de colesterol por 60 dias.

Todos os tratamentos farmacológicos serão iniciados após trinta dias da dieta e terão a duração de mais 30 dias, assim distribuídos: controle negativo; controle positivo; T 1 - extrato bruto na dose de 10mg/kg; T 2 – extrato bruto na dose de 30mg/kg; T 4 – estrato bruto 100 mg/kg; T 5 – sinvastatina 5mg/kg. O extrato de E. grandiflorus e a sinvastatina serão administrados pela via oral, nas doses supracitadas, em uma tomada diária, por 30 dias, após 30 dias de dieta aterogênica, GRAU DE INVASIVIDADE 1 para todas as atividades. Após o período experimental e o abate dos animais serão coletados cinco centímetros de cada segmento do tubo digestório que serão fixados em formol tamponado a 10% e posteriormente submetidos aos tratamentos histológicos de rotina para a mensuração da espessura da túnica mucosa, e da túnica muscular externa em 40 medidas para cada lâmina, utilizando-se o analisador de imagens, algumas amostras serão documentas por fotomicrografias. Para a análise das características morfométricas dos segmentos, serão calculadas as médias que serão comparadas pelo teste de Tukey a 5%.

Histomorfometria da parede do tubo digestório de coelhos Nova Zelândia tratados com extrato de Echinodorus Grandiflorus ( [Cham. & Schltdl. ] Mitch, Alismataceae) com dieta aterogênica