Responsabilidade Social

Produção de ligninases fúngicas e seu potencial na degradação de compostos poluentes

Inovação Tecnológica

Unidade: Toledo

Titulação: Mestrado - Atividade: Pesquisa Institucional

Cod. CNPQ: 0002120202 – Microbiologia Industrial e de Fermentação

Núcleo de Pesquisa: Ciências Biológicas, Agrárias e Tecnológicas  

Linha de Pesquisa: Des. Prod. Proc. E Car. E Pres. Mat. Biol. Biotec. Agrári.

Professora: Juliana Cristhina Friedrich

Resumo: A contaminação dos ambientes hídricos por corantes têxteis e outros xenobióticos se deve,  principalmente, ao  lançamento  de  efluentes  domésticos e industriais. Um ponto crítico em estudos ambientais é predizer o destino e a exposição da biota aquática aos contaminantes devido à dinâmica do meio e da enorme diversidade e complexidade de estruturas químicas existentes nos efluentes, mesmo que em concentrações realmente baixas. Processos biotecnológicos  destinados ao tratamento de efluentes empregando enzimas produzidas por basidiomicetos degradadores de lignina, são objeto de estudos pela capacidade destes microrganismos produzirem enzimas ligninolíticas de baixa especificidade, como as peroxidases e lacases.

A síntese e secreção enzimática são influenciadas pela disponibilidade de nutrientes, condições de cultivo e uso de  indutores  da  atividade, como por exemplo, compostos fenólicos e aromáticos. O emprego de substratos alternativos, como os subprodutos agroindustriais, permite a realização de bioprocessos de baixo custo e com reduzido  potencial de degradação ambiental. Os objetivos desse trabalho são produzir ligninases fúngicas e aplicar os extratos brutos enzimáticos na degradação de compostos poluentes.

Para isso, linhagens de basidiomicetos pertencentes ao laboratório de Biologia Molecular da Universidade Paranaense (UNIPAR) serão avaliadas por cultivo submerso com subprodutos agroindustriais e após definidas as melhores condições de cultivo para produção enzimática, será realizado o processo em escala ampliada. Após extração enzimática, serão testadas as atividades de lignina peroxidase, manganês peroxidase e lacase e em sequência, será analisado o potencial para descoramento de corantes têxteis.

Produção de ligninases fúngicas e seu potencial na degradação de compostos poluentes