Responsabilidade Social

Screnning do uso popular de plantas medicinais durante o período reprodutivo

Inovação Tecnológica

Unidade: Umuarama

Titulação: Doutorado - Atividade: Pesquisa Institucional

Cod. CNPQ: 0005050108 – Toxicologia Animal

Núcleo de Pesquisa: Ciências Biológicas, Agrárias e Tecnológicas

Linha de Pesquisa: Farmacologia, toxicologia e terap. experimental

Professor: Emerson Luiz Botelho Lourenço

Resumo: O interesse pela descoberta de novas moléculas com potencial atividades biológicas tem motivado as pesquisas com extratos de plantas. Dentro deste contexto, os produtos naturais apresentam-se como potenciais candidatos, pois 80% da população mundial utilizam plantas medicinais para o tratamento de suas enfermidades. No Brasil 20% da população consome 63% dos medicamentos disponíveis, enquanto o restante busca tratamentos alternativos Contudo,o uso popular ou tradicional são insuficientes para validar eticamente as plantas medicinais como medicamentos eficazes e seguros. Os produtos naturais têm sido reconhecidos como importantes fontes de novos medicamentos terapeuticamente efetivos, sendo que, de 520 novas drogas aprovadas entre 1983 e 1994, cerca de 39% foram obtidas a partir de produtos naturais ou seus derivados.

Baseados em regulamentos da Agência Americana Food and Drug Administration (FDA), quando uma planta for destacada para ser utilizada para curar, tratar ou impedir alguma doença humana, esta será classificada como uma droga, e os fabricantes terão que fornecer evidências cientificas de que o produto é eficaz e seguro para o uso humano. O objetivo primordial do uso de produtos naturais, não é substituir medicamentos comercializados e já registrados, mas sim aumentar a opção terapêutica de medicamentos com custo reduzido aos encontrados no mercado farmacêutico, com espectros de ação mais adequados e com indicações terapêuticas complementares as medicações já existentes.

Vitex megapotamica, Casearia sylvestris e Echinodorus grandifolius, além de várias outras espécies, são plantas pertencentes a Relação de plantas medicinais do SUS (RENISUS) estas plantas tem sido utilizadas pela população na forma de chá feito de suas folhas para diversas doenças, incluindo processos inflamatórios, controle da pressão arterial, diurese , infecções e para distúrbios da obesidade como a arteriosclerose. Seus usuários acreditam que por ser de origem natural e ser utilizada na forma de chá, estas plantas não representam risco algum á saúde humana. Entretanto, dependendo do período de exposição, podem ocorrer sérios prejuízos a saúde humana, seja através dos efeitos diretos dos constituintes químicos  da  planta,  ou  pela  interação  com  outros  medicamentos administrados concomitantemente.

O presente trabalho terá como objetivo, investigar a toxicologia reprodutiva pré-clínica dos extratos hidroalcoólicos liofilizados das referidas plantas em períodos críticos da gestação em ratas Wistar. Os animais receberão três diferentes doses (3mg, 30mg, 300mg/Kg) dos diferentes extratos brutos liofilizados serão avaliados: 1 - Avaliação de toxicidade no período pré e pós implante para investigação em ratas expostas in utero aos extratos das plantas. 2 - Caso sejam detectados efeitos abortivos ou outras alterações reprodutivas: verificar a viabilidade fetal dos implantes ou fetos nos períodos a serem investigados.

Screnning do uso popular de plantas medicinais durante o período reprodutivo