Responsabilidade Social

Avaliação do uso da gelatina comestível incolor em pó, misturada com gentamicina para obliteração da cavidade alveolar pós exodontia em equinos

Melhoria das Condições de Vida da População e Ações de Inclusão

Unidade: Umuarama

Titulação: Mestrado - Atividade: Pesquisa Institucional

Cod. CNPQ: 0005050100 - Clínica e Cirurgia Animal

Núcleo de Pesquisa: Ciências Biológicas, Agrárias e Tecnológicas

Linha de Pesquisa: Terapêutica Exp. de Prod. Bioativos Apl. à Ciência

Professor: Salviano Tramontin Belettini

Resumo: Os equinos são acometidos por inúmeros distúrbios na cavidade oral que podem acometer os dentes segundo, terceiro e quarto pré-molares e molares superiores. As afecções mais frequentes são pontas excessivas de esmalte, onda, degraus, fratura ou irrupção defeituosa, diastemas, ganchos rostrais e caudais, rampas, cristas transversais excessivas e doença periodontal. O principal sinal clínico é a dificuldade de mastigação e, consequentemente, perda de peso. Também podem estar presentes retenção de alimento na boca, cólicas, assimetria facial, halitose característica e fístulas na face. As afecções dentárias também podem evoluir para afecções alveolares que, por sua vez, podem evoluir para alvéolo-periostites, abscessos apicais, osteomielites e sinusites, com possibilidade de formação de fístula e drenagem de secreção muco-purulenta com odor fétido para o seio maxilar.

A sinusite se manifesta mais comumente de forma unilateral, podendo apresentar secreção muco-purulenta em ambas as narinas. O que se observa no cotidiano, entretanto, é aumento unilateral do volume da face, associado aos sinais clínicos de afecções dentárias, podendo eventualmente fistular. Nestes casos, o tratamento consiste na extração dos dentes acometidos, realizando-se trepanação óssea e repulsão do dente acometido. Tal procedimento leva à abertura do  seio nasal e, consequentemente, a comunicação da cavidade oral com o seio nasal predispondo contaminação do mesmo com restos alimentares, dificultando a cicatrização da ferida cirúrgica, agravando clinicamente o paciente. O objetivo deste trabalho é avaliar a eficácia do uso da gelatina comestível incolor em pó, misturada com gentamicina para obliteração da cavidade alveolar pós exodontia de dentes segundo, terceiro e quarto pré-molares e molares superiores em equinos afim de impedir a comunicação da cavidade oral com o seio nasal, diminuindo o tempo de cicatrização da ferida cirúrgica evitando contaminação do seio nasal de equinos submetidos a cirurgias de exodontia de dentes superiores.

Avaliação do uso da gelatina comestível incolor em pó, misturada com gentamicina para obliteração da cavidade alveolar pós exodontia em equinos