Responsabilidade Social

Anestesia de ratos (RATTUS NORVEGICUS) da linhagem WISTAR pela Associação de Dextrocetamina e Xilazina a Morfina ou Acepromazina com protocolos posológicos calculados por meio de Extrapolação Alométrica Interespecífica

Valorização da Diversidade

Unidade: Umuarama

Titulação: Mestrado - Atividade: Pesquisa Institucional

Cod. CNPQ: 0005050101 – Anestesiologia Animal

Núcleo de Pesquisa: Ciências Biológicas, Agrárias e Tecnológicas

Linha de Pesquisa: Famacologia, Toxocologia e Terap. Experimental 

Professor: Salviano Tramontin Belettini

Resumo: O emprego de animais para experimentação é uma rotina em todas as instituições de pesquisa, nas mais diversas áreas das ciências biológicas e da saúde. Muitas vezes tais animais devem ser submetidos a procedimentos dolorosos, e necessitam ser anestesiados.

Apesar da enorme casuística de animais submetidos à ação de drogas anestésicas com propósitos de experimentação, na grande maioria das vezes não são empregados drogas, técnicas e protocolos adequados, pois e geral os pesquisadores não têm a anestesia como objetivo principal, mas tão somente como uma  ferramenta para consecução de seus objetivos experimentais.

Assim, muitas vezes os animais passam por procedimentos extremamente dolorosos sem estar profundamente anestesiados, em função de receberem doses menores que as ideais, ou vêm a morrer, em função de receberem doses maiores que as ideais.

O objetivo deste projeto é conter e anestesiar ratos de laboratório da linhagem Wistar, empregando a associação de um agonista alfa2-adrenérgico (cloridrato de xilazina) e um anestésico dissociativo (dextrocetamina) a um fenotiazínico (acepromazina) ou a um opióide (morfina), com doses calculadas por meio de extrapolação alométrica interespecífica. Visamos produzir conhecimento científico que contribua para otimização das condições de experimentação empregando tais animais, respeitando as necessárias normas obrigatórias de bem-estar animal.

Anestesia de ratos (RATTUS NORVEGICUS) da linhagem WISTAR pela Associação de Dextrocetamina e Xilazina a Morfina ou Acepromazina com protocolos posológicos calculados por meio de Extrapolação Alométrica Interespecífica